As 7 raças mais populares no Brasil

As 7 raças mais populares no Brasil

Existem milhares raças de cães no Brasil e no mundo e esse número parece aumentar mais e mais a cada ano. Todas as raças tem sua particularidade, seus encantos. Entender o temperamento e as características mais marcantes de cada raça é extremamente importante na hora de escolher um companheiro e principalmente para compreender melhor seu cão e até mesmo os “amigos” dele.

Veja a seguir um pouco da história e das características mais marcantes das raças mais populares no Brasil:

Poodle

Tem origem francesa e lá costumava ser utilizado para caçar pássaros aquáticos.

É conhecido por ser muito fiel e altamente inteligente, sendo facilmente treinado. Alegre e sensível, gosta de estar sempre na companhia dos donos, é normalmente amigável com estranhos e um excelente amigo para as crianças. Também é meigo e não gosta de ficar sozinho. Além disso, é alerta e tem tendência para latir, mas não costuma ser agressivo.

O temperamento pode variar um pouco de acordo com o porte, sendo os médios e grandes normalmente mais calmos do que as variedades menores.

Shih Tzu

Não se sabe ao certo sua origem, mas acredita-se que essa raça seja resultado do cruzamento entre o Lhasa Apso com um Pequinês, realizado na China. Os cães eram os favoritos da realeza chinesa, que durante anos se recusou a exportá-los. Só nos anos 1930 um casal foi levado para a Inglaterra, e ali começou a popularização da raça no Ocidente.

É um cão de pequeno porte, robusto, com uma pelagem longa e lisa. Tem um ar distinto e um pouco arrogante, com uma cabeça redonda e um focinho curto e meio quadrado, além de topete, barbicha e bigode grandes.

Gosta muito de companhia, de passear e de ficar no colo. Não late com facilidade, é calmo e costuma se dar bem com outros animais. Também gosta de brincadeiras e de ser mimado, é fiel, inteligente, ativo e carinhoso. Por seu temperamento, é uma boa companhia para idosos.

Maltês

Os ancestrais do maltês viviam nos portos e cidades marítimas do Mediterrâneo (principalmente na Itália), onde caçavam ratos nos armazéns dos portos e nos porões dos navios.

Não se sabe ao certo quando surgiram, mas há indícios de que seja uma raça muito antiga, que foi reconhecida oficialmente em 1888.

É pequeno e coberto por um pelo macio, longo e branco. É elegante e atraente, com o corpo alongado e as orelhas pendentes e muito peludas.

É um cão muito vivo e ativo, que acompanha tanto donos com uma vida agitada quanto aqueles com um dia a dia mais pacato, já que se adapta facilmente a qualquer estilo de vida. Além disso, adora jogos e brincadeiras e não gosta de ser deixado sozinho. É dócil e carinhoso, protetor, inteligente e corajoso, mas não é uma boa opção para crianças pequenas, já que pode ser intolerante.

Buldogue Francês

É o produto de diferentes cruzamentos feitos nos bairros populares de Paris em 1880, com a intenção de criar uma versão menor dos Buldogues Ingleses.

Pequeno, têm lábios pelancudos, focinho achatado e orelhas e olhos grandes. É atarracado e forte, de pelo raso e com uma cauda naturalmente curta.

É um animal ativo, inteligente, muito musculoso e compacto.

O temperamento da raça é sociável, alegre, brincalhão e esperto. Particularmente carinhoso com os donos e as crianças, é bastante dependente da família, gosta da companhia dos donos e se incomoda ao ser deixado sozinho. Curioso e alerta, costuma latir para estranhos e é tímido diante deles. Pode se dar bem com outros animais se for habituado com eles desde pequeno. É um pouco teimoso, mas pode ser treinado.

– Yorkshire Terrier

Surgiu no norte da Inglaterra e varias raças contribuíram para sua criação, como o Black and Tan English Terrier, os Scottish Terriers e o Waterside Terrier.

Durante a revolução Industrial, os Yorkshires Terriers eram usados para caçar ratos em minas de carvão.

Pequeno e com um corpo bem proporcionado, é compacto e tem pelagem longa. São alegres e ativos, sendo ótimos companheiros dos donos. São dóceis, cheios de energia, alertas e corajosos.

Na relação com a família, necessitam de muita atenção e se dão melhor com os mais velhos do que com crianças pequenas.

São animais fáceis de serem treinados, apesar de um pouco teimosos. Devem ser educados desde filhotes para conviverem bem com estranhos e outros animais.

– Golden Retriever

Originário da Escócia, o Golden é hoje um dos cães mais populares que existem, utilizado para companhia, competições de obediência, caçadas, corridas, operações policiais, guia para cegos, entre outros. A raça foi reconhecida oficialmente em 1925.

É grande e bonito, com pelo liso e macio, a cabeça larga e arredondada e os membros fortes e vigorosos. Fora isso, tem excelentes qualidades que encantam qualquer um: é obediente, altamente inteligente, amável, dócil e brincalhão. Gosta de estar sempre com a família e se relaciona bem com as crianças e outros animais de estimação. É também muito confiável, seguro e sociável, sem ser agressivo. Deve ser educado desde cedo para não causar problemas dentro de casa.

– Vira-latas

O cão vira-lata, mestiço ou sem raça definida (SRD) é um cão que pode ter uma linhagem tão difusa que é impossível determinar sua origem. Além da simplicidade de uma aparência comum de vira-lata, as raças indefinidas são providas de um vigor extra, são mais fortes, têm temperamento equilibrado, estão menos propensas às doenças e mais adaptáveis do que seus correlativos de pedigree.

Cães vira-lata de rua, principalmente aqueles que já tiveram um lar e foram abandonados, tendem a ser muito fieis. É comum, ainda mais nas grandes cidades, ver situações onde cães vira-latas se tornam companheiros inseparáveis de pessoas em situação de rua. Acredita-se que isso ocorra porque esse cão aprendeu como sobreviver por conta própria e percebeu que se beneficiava ao ser dócil e amistoso.

Um cão sem raça definida apresenta chances de ser inseguro ou desconfiado como qualquer cachorro de qualquer raça. Isso muitas vezes ocorre devido a um histórico de maus tratos que o cão sofreu, tornando-o mais arrisco, mas de uma forma geral eles costumam ser amorosos e carinhosos.

O vira-lata típico do Brasil é facilmente reconhecido pelas pessoas como um cão de porte médio e pelo curto, que se apresenta em diversas cores entre preto e bege claro, variando com as condições do ambiente no qual vive. Esses cães, especialmente os que viveram na rua, se adaptaram ao ambiente e são capazes de fazer diversas proezas que talvez alguns cães de raça nunca venham a fazer.

Outras raças como Labrador, Bulldog Inglês, Pug e Spitz Alemão também vem caindo nas graças dos brasileiros.

Na hora de adquirir um pet, escolha bem as características que mais lhe agradam e combinam com seu estilo de vida. Caso decidir por um cão de raça, pesquise bastante e certifique-se que o canil tem boas referências. Isso garante a autenticidade e saúde do animal. Muitos canis criam cães em condições precárias com falta de higiene e maus tratos, por isso fique ligado para não alimentar esse mercado clandestino.

A adoção é uma ótima opção. No Brasil exitem diversas ONGs que resgatam e cuidam dos animais de rua dando uma nova oportunidade de vida para esses peludos que muitas vezes tiveram um começo difícil. A maioria das ONGs como por exemplo Ampara animal e Adote um focinho doam cães já castrados, vermifugados e muitas vezes vacinados. O Centro de controle de zoonoses mantido pela prefeitura de SP, disponibiliza animais castrados, vermifugados e microchipados por uma taxa municipal de R$21,00.

Curta a página do Quintal Animal no facebook e fique sabendo mais notícias como esta!

Foto: Augusto Kuba

 

 

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *